Suspeita de novo calote na Petrobras

Trabalhadores denunciam possibilidade de novas demissões sem pagamento de salários e verbas rescisórias seguidas de contratações de outras bases territoriais

Segundo denúncias de trabalhadores recebidas pela SINTRICOM, há indícios de novo calote na Petrobrás. Esses trabalhadores souberam que houve uma reunião entre a chefia da Niplan e a gerência da Petrobrás, e que essa empresa teria colocado a possibilidade de entrega do contrato de prestação de serviço. Se isso acontecer, os trabalhadores atuais seriam demitidos e novas contratações de outras regiões do país seriam feitas. Essa situação seria a mesma que aconteceu com a empresa Seiton, na unidade da REVAP, onde os trabalhadores foram demitidos sem o recebimento das verbas salarias e rescisórias. Vale esclarecer que a contratação de trabalhadores de fora da base territorial do SINTRICOM, tem como objetivo inviabilizar que o trabalhador lute pelo seu direito, já que ele tem que retornar para a sua cidade de origem. As chefias das empresas e a gerência da Petrobrás pretendem fazer isso porque não querem pagar os salários e benefícios, que estão previstos no Acordo coletivo, sabendo que esses trabalhadores terão maiores dificuldades em procurarem seus direitos junto ao SINTRICOM. Isso é uso de trabalho escravo e já aconteceu a mesma situação na última parada. Não deixem que essa situação aconteça novamente.

Fazendo uma avaliação dessas denúncias, conseguimos concluir que essa é a estratégia desse cartel de empresas de tirar os direitos já adquiridos através do Acordo celebrado e dissídio referente a data base de 2019, com muito empenho desta entidade representativa dos trabalhadores, em fato de representar o pleito dos trabalhadores da categoria. Constatamos que essa suposta demissão, que chegou por meio de denúncias, seria para extinguir de vez todos os direitos adquiridos pelo SINTRICOM juntamente com os trabalhadores, pois estamos às vésperas de campanha salarial. E, novamente, esse cartel de terceirizadas, comandado pela tomadora de serviço Petrobrás, querem extinguir todos os direitos adquiridos em 2016,2017,2018 e 2019. Mesmo sofrendo inúmeros ataques, essa organização representativa dos trabalhadores segue firme e forte no cumprimento do seu dever, que é garantir os direitos da classe trabalhadora e continuar liderando este ranking de índices salariais para benefício de todos os trabalhadores.

Deixe uma resposta