POLÍCIA MILITAR DESCUMPRE CONSTITUIÇÃO E OBRIGA TRABALHADORES A ENTRAR NA REVAP!

A MANSERV em conluio com a Petrobras usou a força da Polícia Militar, instituição pública que deveria proteger o pai de família e manter a ordem civil, contra os trabalhadores e o SINTRICOM, o Sindicato Pau na Gata, eleito democraticamente para representar o trabalhador.

Na sexta-feira (27), um batalhão de 9 viaturas da PM sob comando do tenente Clóvis, fizeram uma escolta forçada do ônibus, o qual trazia os trabalhadores da MANSERV, que estavam na legalidade da Greve desde o começo de Julho. Como prevê a lei de greve, o sindicato representante da categoria tem todo o direito de fazer assembleia com os trabalhadores, sem que a empresa, patronal ou polícia interfiram no direito de Ir e Vir. Mas não foi o que ocorreu nessa última Sexta, ao qual os soldados da PM, sem qualquer senso de segurança ou respeito pelos trabalhadores, vieram com truculência e força bruta para obrigar a entrada dos trabalhadores contra a própria vontade na REVAP.

Utilizando armas de fogo, spray de pimenta, escudos e cassetetes, a Polícia Militar empurrou e marchou contra os trabalhadores e Sindicato, impedindo que os trabalhadores da MANSERV que estavam dentro do ônibus pudessem descer e reunir-se em assembleia com o SINTRICOM, gritando ordens para o motorista não parar de maneira nenhuma. mesmo o trabalhador de dentro do ônibus manifestando a sua vontade de descer e apontando as suas armas contra os trabalhadores e Sindicato. A escolta pela Polícia Militar, a qual nós trabalhadores pagamos fazendo um trabalho privado, o qual não deveria por ser de segurança pública. E ainda mais passando do portão, mostrando que realmente que estava fazendo escolta privada e se manteve por algum tempo portão a dentro, como se fosse uma empresa terceirizada de segurança. Os trabalhadores com toda essa intimidação, não entraram, somente os que estavam dentro do ônibus não tiveram a mesma oportunidade, inclusive os submetendo a constrangimentos de revista em mochilas e ameaças. Os trabalhadores ao qual estavam dentro do ônibus foram enganados pela própria empresa MANSERV, dizendo que estava com o acordo já assinado. E quando viram a presença do sindicato e dos demais trabalhadores da mesma empresa parados para a assembleia, ligaram para o sindicato sem entender porquê a policia não deixou eles manifestarem o seu direito de participar da assembleia.

Os trabalhadores da MANSERV estavam paralisados em Greve desde o início do mês de julho, juntamente com o SINTRICOM Pau na Gata, após rejeitar as condições precárias de serviço e a retirada de salário e direitos promovidas pela empresa. A Constituição Federal, em seu artigo 9º e a Lei nº 7.783/89 asseguram o direito de greve a todo trabalhador, competindo-lhe a oportunidade de exercê-lo sobre os interesses que devam por meio dele defender. «Considera-se legítimo o exercício de greve, com a suspensão coletiva temporária e pacífica, total ou parcial, de prestação de serviços, quando o empregador ou a entidade patronal, correspondentes tiverem sido pré-avisadas 72 horas, nas atividades essenciais e 48 horas nas demais. A empresa não poderá adotar meios para constranger o empregado ao comparecimento ao trabalho, bem como capazes de frustrar a divulgação do movimento».

A PM além de ferir a constituição ao não permitir a assembleia e obrigar a entrada do trabalhador na refinaria, também obstruiu o direito de Ir e Vir, previsto na Constituição Federal, artigo 5º, impedindo que o trabalhador pudesse decidir se entraria ou permaneceria parado na portaria da refinaria. Essa postura vendida e fascista da Polícia Militar prejudicou pais de família que querem uma condição melhor de trabalho.

A MANSERV não cumpriu o acordo assinado por 14 empresas da REVAP, o maior acordo do Brasil, conquistado com o suor e trabalho duro. A empresa, com a conivência da Petrobras, obriga o trabalhador dela a aceitar Rebaixamento de 40% do salário, extinção da PLR, remoção do Plano de Saúde e Redução de Direitos. Não podemos permitir que essa agressão e abuso de autoridade continue sendo feito contra o trabalhador e esta entidade legítima, que a cada dia vê mais dos seus direitos e dinheiro serem roubados e quando ele quer lutar por isso, é ameaçado e coibido pela Manserv, Petrobras, que usando a Polícia Militar, vai para cima do pai de família com armas apontadas pro rosto e ameaças de desemprego.

Não reconhecemos esta postura da Petrobrás em aceitar uma empresa de tamanha imprudência como a MANSERV, que em 2012 saiu dessa mesma área sob circunstâncias de um acidente que veio matar um pai de família, fora outros acidentes ocorridos pela mesma empresa, que até neste momento alguns trabalhadores sofrem com sequelas. Vamos prestar a denúncia deste abuso na corregedoria, pois a Manserv, a Petrobrás e a Polícia Militar usaram de força bruta, violência e armamentos para furar a greve que está em legalidade, para colocar os trabalhadores a força dentro da REVAP.

Deixe uma resposta